Página Principal
 

BEPELI

Educação,
Arte e Cultura

E-mails:

bepeli@bepeli.com.br
arte@bepeli.com.br


www.bepeli.com.br


Renascentismo
As Sete Maravilhas do Mundo Antigo
Galeria Bepeli de Artes
Patrocinadores

Guerra do Paraguai

Sangrento conflito do Paraguai com a Argentina, Brasil e Uruguai.
Também conhecida como a Guerra da Tríplice Aliança, este foi o mais longo conflito entre as nações independentes da América Latina, com duração de novembro 1864 a março de 1870, quando o líder paraguaio, o marechal Solano López, foi morto no cerco final dentro de si Paraguai.

A própria guerra
Resumidamente, a guerra foi o resultado do desejo do Paraguai para transformar suas riquezas da indústria de erva-mate em uma transformação de seu status como um estado-tampão entre Brasil e Argentina em uma potência de pleno direito regional. Para isso foi necessário dominar o Uruguai para garantir o acesso ao mar, levando a irrefletidas invasões do país, assim como a Argentina eo Brasil muito maior.
De 150 para mais de 200 mil pessoas morreram em consequência da guerra, seja no campo de batalha ou de doença ou outras conseqüências do conflito.
População masculina do Paraguai foi devastada, enquanto as sociedades de todas as nações envolvidas foram irrevogavelmente alterada.

Guerra do Paraguai
A guerra do Paraguai, que envolveu o Brasil, a Argentina, o Paraguai e o Uruguai, foi uma das mais sangrentas guerras que ocorreram na América do Sul no século passado. Tratava-se da disputa sobre o controle da navegação comercial na Bacia do Prata (Rio Prata) entre esses países.
O Paraguai havia sido uma província Argentina que havia ganhe sua independência em 1852 e seu governo era aliado do partido Blanco, dos latifundiários do Uruguai. Paraguai é um país da América Latina que não tem saída para o oceano. O Uruguai era a antiga Província de Cisplatina, região disputada entre os governos espanhóis e portugueses que foi invadida por D. João VI quando este esteve no Brasil. O Uruguai conseguiu se libertar do Brasil no final do governo de D. Pedro I.
Solano Lopez, presidente paraguaio, contava com o apoio de seus aliados quando iniciou a guerra em seu objetivo de conquistar para seu país uma saída para o Atlântico a fim de comercializar produtos paraguaios. Quando as tropas brasileiras invadiram o Uruguai para colocar o partido Colorado no poder, em 1867, Lopez, em defesa dos blancos, invadiu o Mato Grosso do Sul. Como a Argentina não quis deixar que as tropas paraguaias passassem em seu território, Solano invadiu a província argentina Corrientes.
Sem seus aliados no poder uruguaio, o Paraguai acabou tendo que enfrentar a Argentina, o Brasil e o Uruguai dos Colorados juntos. Mas, com o tempo, a guerra trouxe fome e dívidas para todos, pois a Inglaterra emprestou dinheiro para compra de armas para o Brasil e para a Argentina.
O exército brasileiro era o maior de todos, mas também era o mais despreparado. Naquela época, não era o exército o encarregado de proteger o território brasileiro, mas a Guarda nacional.
A Guarda Nacional era uma força criada ainda na época das Regências. Os comandantes eram os latifundiários que tinham condições de contratar e armar pessoas por seus próprios recursos. Esses latifundiários ganharam o título de coronéis mesmo sem pertencer a nenhuma instituição militar e eram encarregados de proteger apenas seu Estado. O exército, daquela época, eram mercenários, sem nenhum vínculo com o exército. Mercenários são guerreiros que lutam apenas se forem pagos, independente de qual país está pagando.
Foi apenas na Guerra do Paraguai que o governo brasileiro criou um exército com soldados não mercenários, profissionais. Os soldados que lutaram na Guerra do Paraguai eram, em boa parte, negros, escravos que ganhavam a liberdade para lutarem. O Brasil era o único país na guerra a adotar a Monarquia e a manter a escravidão.
Sem nunca chegarem ao Uruguai para colocarem os Blancos novamente no poder, as tropas paraguaias, depois de vitórias iniciais, foram sofrendo derrotas. Mesmo tendo a Argentina, que sofria suas revoltas internas, e o Uruguai fora da guerra, as tropas brasileiras, com o apoio da potente frota naval, aos poucos conseguiam expulsar os paraguaios do território brasileiro.
A derrota definitiva do Paraguai ocorreu com o massacre nas tropas paraguaias em 16 de agosto de 1869. Todos os países envolvidos na guerra tiveram suas economias abaladas com enormes dívidas, mas o Paraguai praticamente viu seu exército dizimado, sua economia arrasada e seu território diminuído em 40%. Brasil e Argentina ganharam territórios do país derrotado.


Fonte Wikipedia a Enciclopédia Livre

<< PÁGINA PRINCIPAL